Contmatic Phoenix | Soluções Inteligentes de Alta Tecnologia

Soluções Inteligentes de Alta Tecnologia.

Acontece - Na Mídia

Contabilidade é boa área para jovens

Conheça as oportunidades na área de contabilidade. Se a pessoa tem afinidade com os números, é atenta e organizada, encontra boas chances. 

Quarta-feira é dia de reportagem especial sobre emprego no SPTV. Hoje a gente vai falar das oportunidades na área de contabilidade. Se a pessoa tem afinidade com os números, é atenta e organizada, encontra boas chances.  

Pode ser uma ótima saída para os jovens em busca do primeiro emprego. Tem que correr atrás, estudar, mas vale a pena. As empresas estão sempre com vagas abertas em vários níveis e faltam profissionais qualificados para preenchê-las.  

Quem está na área jura que o trabalho não é burocrático como pode parecer.  

Uma vírgula digitada no lugar errado, um zero a mais ou a menos, um pequeno erro pode resultar numa grande diferença nos cálculos. “Se você digitar qualquer coisinha errada, vai, o imposto vai errado por cliente, então é uma responsabilidade grande”, afirma Patrícia Leite, auxiliar de escrita fiscal.  

Patrícia passa para o computador as informações das notas fiscais. Chega a digitar até 800 notas por dia. Ela começou no escritório como recepcionista. “Eu sempre me interessei por números e eu achei uma área legal e eu fui atrás de fazer os cursos para ingressar na área”, diz ela.  

Não importa o tamanho da empresa ou o número de funcionários. Todas precisam do trabalho dos contadores porque têm obrigações a cumprir como o pagamento de impostos e a declaração de rendimentos. Algumas têm um departamento próprio, mas a maioria das pequenas e médias empresas terceiriza o serviço.  

Um escritório de contabilidade na Vila Mariana atende 350 empresas. Tem 120 funcionários e está com dez vagas abertas, mas não está fácil preenchê-las. “É bastante difícil, o que a gente vê muito no mercado são pessoas que estão disponíveis mas que não tem especialização, as vezes nem um cursinho básico, nem formação no segundo grau”, diz Adriana Alcazar, diretora técnica.  

Camila começou como estagiária, dois anos depois o currículo está bem melhor. “Eu gostei muito do técnico então eu resolvi dar um passo maior, partir para o curso superior mesmo porque é uma área que eu resolvi seguir”, revela Camila da Silva, auxiliar contábil.  

Nas pastas estão documentos importantes das empresas. Tudo bem organizado. “A gente trabalha com muitos papéis, a gente mexe com apuração de impostos então se a pessoa não tiver organização, acaba misturando uma coisa na outra, acaba complicando um pouco o trabalho”, garante ela.

Para as vagas de auxiliar de escrita fiscal e auxiliar de departamento pessoal, o salário é de R$ 1.200 reais e tem que ter o ensino médio. O auxiliar contábil ganha em média R$ 1.200 reais. O salário do assistente sobe para R$ 1.500 e chega a R$ 3.700 para o analista contábil. Para trabalhar nessas três funções é preciso estar cursando o ensino técnico ou ser formado.  

“Com certeza você mostrando o seu conhecimento e assumindo novas responsabilidades, o crescimento pode ser grande nos três primeiros anos”, acredita Márcia Alcazar, Conselho Estadual de Contabilidade.  

Cursos de reciclagem no currículo são diferenciais que pesam pra conquistar uma vaga ou melhores oportunidades. “Essa vivencia você consegue com esses cursos mais direcionados a pratica, ao conhecimento de como você pode se desenvolver e se aperfeiçoar nessa carreira”, garante Márcia.  

Um curso de analista fiscal numa escola do Tatuapé dura 32 horas e custa R$ 200 reais. São duas semanas de aulas de segunda a quinta-feira das 18h30 às 22h30.  

“A legislação hoje, o que acontece, ela é muito dinâmica, ela muda muito e rápido e são mudanças radicais então, pra você acompanhar, você tem que estar realmente lendo constantemente, se atualizando”, diz Janayne da Cunha, professora.  

Até quem se formou há pouco tempo já sente necessidade de estudar mais. “Eu me formei no ano passado, já entrou uma nova lei aí, 11638, que é referente a contabilidade ou seja, estou desatualizado. Então tenho que correr atrás dessa nova lei e ter conhecimento dela”, diz Djalma Tenório, contador.  

Se você acha que é um trabalho muito burocrático, olha o que diz quem é da área. “Mudou muito de uns anos pra cá a contabilidade, até o próprio empresário mudou muito, antes ele achava que o contador era só pra mandar os impostos, hoje a gente ajuda muito em planejamento tributário, ter uma economia eficiente”, explica Valter Grégio Júnior, gerente do departamento de contabilidade.  

O curso mostrado na reportagem é oferecido por uma empresa que atua na área de contabilidade e custa R$ 200. As aulas são no Tatuapé e só pode se inscrever quem tiver o segundo grau completo. A mesma escola também tem um programa para jovens de baixa renda e este é de graça.

Fonte: SPTV